Questão – Prefeitura de Inhapim-MG Acupunturista 01/2014 – Comentada

Essa questão foi da prefeitura municipal de Inhapim – MG no Concurso Público – Edital Nº 01/2014 – TÉCNICO ACUPUNTURA desenvolvida pela Banca Reis & Reis Auditores Associados.


  • No estudo dos órgãos e vísceras (Zang Fu), quais são classificados como órgãos:
    • a) C – BP – VB – F – R;
    • b) R – E – IG – BP- VB;
    • c) F – R – BP – C – P – PC;
    • d) R – F – TA – PC – BP.

estudando

Comentários

Escolhi essa questão (que pela lógica é bem fácil) pelo motivo das contradições que existem, as traduções originais as vezes são alteradas para facilitar a compreensão aqui no ocidente, pela má elaboração da questão, minha opinião, ela poderia ser anulada por dois motivos.

Então vamos lá, primeiro o Pericárdio é um órgão bem contraditório, nos escritos antigos chineses ele sequer é mencionado como um órgão, constantemente vemos os textos citarem “os cinco zang e os seis fu”, excluindo assim o pericárdio, o porque disso são suas funções que são as mesmas do coração e ele é considerado um simples apêndice do Coração, na verdade o pericárdio é traduzido como Mestre do Coração, Envelope do Coração e Canal de Conexão do Envelope do Coração, por outro lado na divisão dos Canais o Pericárdio é incluído e possui grande importância não só para o coração como também para a parte central do tórax e no Zong Qi (Qi Torácico).
O segundo motivo é o pedido da questão “quais são classificados como órgãos?”, o significado dos Zang e Fu são órgãos Yin e órgãos Yang, sendo assim os onze são considerados órgãos, a tradução de Zang é “carne” mais “armazenar” enquanto o Fu é “carne” mais “torno de governo” ou “centro administrativo”, dessa forma são órgãos Zang e órgãos Fu que diferem pelas suas funções em Yin e Yang.
Por outro lado, todavia, entretanto, ultimamente no ocidente alguns livros e algumas escolas estão ocidentalizando os ZangFu como Órgãos e Vísceras, embora os chineses referem-se aos Órgãos internos simplesmente como Zangfu. Assim ficamos com essa divergência, eu como Acupunturista, estudante e defensor das práticas inteiramente CHINESAS, no cerne de seus princípios, prefiro continuar como o explicado acima. Termino lembrando que o grande mestre Maciocia ensina por essa mesma linha de raciocínio, que inclusive fui influenciado.

Na possível resposta seria:

a) NÃO – Zang são órgãos yin e a Vesícula Biliar é um órgão Yang ou por essa ideologia seria víscera.

b) NÃO – Zang são órgãos yin e o Intestino Grosso, Vesícula Biliar e Estômago são órgãos Yang ou vísceras.

c) SIM – Todos são órgãos Yin denominados de Zang.

d) NÃO – Zang são órgãos yin e o Triplo Aquecedor é um órgão Yang ou víscera.

Convulsão Infantil – Acupuntura

A convulsão infantil geralmente dura poucos segundos e podem repetir-se várias vezes por dia. As convulsões podem resolver-se espontaneamente até os 5 anos de idade, mas em geral podem ser substituídas por outros tipos de convulsões, ocorrem em até 1,4% dos recém-nascidos sendo que a maioria das convulsões neonatais é focal, provavelmente porque no recém-nascido a generalização da atividade elétrica é impedida por falta de mielinização e formação incompleta dos dendritos e sinapses cerebrais.

convulsc3a3o-infantil-01.jpg

Os espasmos começam com contrações súbitas, rápidas e tônicas do tronco e dos membros, às vezes por vários segundos. Os espasmos variam de acenos sutis de cabeça até contrações do corpo todo. Eles envolvem flexão, extensão ou, mais frequentemente, ambos (misto). Os espasmos geralmente ocorrem em grupo, dúzias de vezes sucessivamente, em geral depois que a criança acorda e, ocasionalmente, durante o sono. Às vezes, inicialmente eles são confundidos com sustos.

Em geral, há defeitos de desenvolvimento. Nos primeiros estágios da doença, pode ocorrer regressão de desenvolvimento (p. ex., a criança perde a capacidade de sorrir, sentar-se ou rolar o corpo).

A frequência de mortes prematuras varia de 5 a 31% e está relacionada à etiologia dos espasmos infantis.

A fisiopatologia é desconhecida, entretanto os espasmos infantis podem refletir interações anormais entre o córtex e o tronco cerebral.

depositphotos_12200473-stock-illustration-floral-yin-yang-symbol

Na Medicina Chinesa

Esta enfermidade pode ser dividida em dois tipos: agudo e crônico.
Convulsão Aguda – O fator causante é o vento endógeno provocado pela invasão de vento-frio exógenos acompanhado de acumulação de alimentos não digeridos no estômago que causa fleuma e calor extremo. As enfermidades agudas e febris também podem provocar convulsão aguda.

Convulsão Crônica – Esta ocorre devido a debilidade da função do Baço e do Estômago depois de ter passado por uma enfermidade crônica.

Diferenciação

Convulsão Aguda – Febre elevada, coma, olhos fixos que olham para cima, espasmo do músculo masseter, ruido de fleumas, contração tetânica, opistótono, cianose, pulso rápido e de corda.

Convulsão Crônico – Enfraquecimento, palidez, lassidão, letargia com olhos semicerrados, convulsão intermitente, extremidades frias, fezes moles com alimentos sem digerir, urina em excesso e de cor clara, pulso profundo e fraco.

Convulsão Infantil 00

Tratamento

Convulsão Aguda

São selecionados os pontos do Canal Du como principais, e que são adequados para eliminar calor, vento e para o restabelecimento. Podemos usar o método de dispersão. A moxabustão nesse caso é contraindicado.

Exemplo de pontos são: Shixuan (Extra), Yintang (Extra), Renzhong (Du 26), Quchi (IG 11), Taichong (F 3).
Pontos secundários: no caso de coma podemos usar Laogong (PC 8), Yongquan (R 1), no caso de convulsão prolongada podemos usar Xingjian (F 2), Yanglingquan (VB 34), Kunlun (B 60), Houxi (ID 3), no caso de febre elevada podemos usar Dazhui (Du 14), Hegu (IG 4).

Fazer sangria nos pontos Shixuan com a finalidade de eliminar o calor. O ponto Yintang tem a função antiespasmódica. Renzhong tem um bom efeito de promover o restabelecimento. Quchi é usado para eliminar o calor dos canais Yangming. Usar o método dispersante no ponto Taichong para acalmar o vento do Fígado. Laogong e Yongquan são pontos importantes para os casos de emergência, principalmente para eliminar o calor excessivo. Os pontos Xingjian e Yanglingquan são usados para dispersar o calor do Fígado e da Vesícula Biliar e aliviar o espasmo. Kunlun é um ponto do canal da Bexiga, a parte superior de seu trajeto entra no cérebro, Houxi se comunica com o canal Du. Os últimos pontos são usados em combinação com o propósito de deixar a mente mais clara e aliviar as convulsões. Dazhui é ponto de confluência de todos os canais Yang e Hegu é o ponto Yuan do canal Yangming da mão. Estes pontos são usados para dispersar o calor excessivo nos canais Yang.

Convulsão Infantil 03

Convulsão Crônica

Podemos usar pontos dos canais Ren e Yangming do pé (Estômago) e aplicar Acupuntura e Moxabustão para fortalecer a função do Estômago e do Baço.

Exemplo de pontos são: Zhongwan (Ren 12), Guanyuan (Ren 4), Zusanli (E 36), Zhangmen (F 13), Yintang (Extra).

Zhangmen, Zhongwan e Zusanli são usados para regular a função do Baço e do Estômago. Usamos Moxabustão no ponto Guanyuan para tonificar o Qi original. Moxa também no ponto Yintang para parar a convulsão.

Nota
A convulsão aguda indica a infecção do sistema do nervo central e encefalopatia tóxica, tais como meningoencefalite epidêmica e pneumonia tóxica. A Acupuntura tem a função antifebril e antiespasmódica, mas devemos fazer um diagnóstico prévio e claro e para realizar um bom tratamento.
A convulsão crônica é causada principalmente por vômito contínuo, diarreia crônica e prolongada por transtornos metabólicos e nutritivos, ou por infecções crônicas do sistema nervoso central. Em todos os casos de evolução da convulsão aguda, deve tomar algumas medidas para o tratamento.

Uma breve história da Acupuntura por A.White

Uma pesquisa da história chinesa feita em 2004 por A.White e E. Ernst, quando a acupuntura estava a dar seu passos largos novamente pelo ocidente. Devido esse fato, ainda haviam dúvidas e pouca aceitação da técnica por aqui, inclusive uma visão preconceituosa, do ponto de vista das acusações de charlatanismo, quanto a sua aplicação e visão patológica.
White observou a Acupuntura em outros estudos, principalmente sobre as dores de cabeça, o que lhes atribuiu um resultado enorme em comparação aos fármacos.


Um breve histórico da acupuntura

A acupuntura é geralmente mantida como originada na China, sendo mencionada pela primeira vez em documentos que datam de algumas centenas de anos que levaram à Era Comum. As pedras e ossos afiados que datam de cerca de 6000 aC foram interpretados como instrumentos para o tratamento de acupuntura, mas podem simplesmente ter sido utilizados como instrumentos cirúrgicos para extração de abscessos sanguíneos ou lanças. Documentos descobertos na tumba Ma-Wang-Dui na China, que foi selado em 198 aC, não contém nenhuma referência à acupuntura como tal, mas se referem a um sistema de meridianos, embora muito diferente do modelo que foi aceito mais tarde. A especulação envolve as marcas de tatuagens vistas no ‘Ice Man’ (Fig. 1) que morreu em cerca de 3300 aC e cujo corpo foi revelado quando uma geleira alpina derreteu. Essas tatuagens podem indicar que uma forma de tratamento estimulante semelhante à acupuntura desenvolveu-se bastante independentemente da China.

Buch_Iceman_01_web
“Iceman Mummy” tinha 57 tatuagens algumas localizadas em ou próximas de pontos de acupuntura, sugerindo tratamento de doenças gástricas e artrose

O primeiro documento que descreve inequivocamente um sistema organizado de diagnóstico e tratamento que é reconhecido como acupuntura é o Clássico de Medicina Interna do Imperador Amarelo, que data de cerca de 100 aC. A informação é apresentada sob a forma de perguntas do imperador e respostas aprendidas de seu ministro, Chhi-Po. O texto provavelmente foi uma compilação de tradições transmitidas ao longo dos séculos, apresentadas em termos da filosofia Taoista prevalecente, e ainda são citadas em apoio de técnicas terapêuticas particulares. Os conceitos de canais (meridianos ou condutas) em que o Qi (energia vital ou força vital) fluí estão bem estabelecidos por este tempo, embora os locais anatômicos precisos dos pontos de acupuntura se desenvolvessem mais tarde.

A acupuntura continuou a ser desenvolvida e codificada em textos ao longo dos séculos seguintes e gradualmente se tornou uma das terapias padrão utilizadas na China, ao lado de ervas, massagem, dieta e moxabustão (calor). Muitas teorias esotéricas diferentes de diagnóstico e tratamento surgiram, às vezes até contraditórias, possivelmente como escolas concorrentes  que tentaram estabelecer sua exclusividade e influência. As estátuas de bronze do século XV mostram os pontos de acupuntura em uso hoje e foram usadas para fins de ensino e exame (Fig. 2). Durante a Dinastia Ming (1368-1644), foi publicado o Grande Compêndio de Acupuntura e Moxabustão, que é a base da acupuntura moderna. Nela há descrições claras do conjunto completo de 365 pontos que representam aberturas para os canais através dos quais as agulhas podem ser inseridas para modificar o fluxo de energia Qi. Deve-se notar que o conhecimento da saúde e da doença na China se desenvolveu puramente a partir da observação de sujeitos vivos porque a dissecção era proibida e o sujeito da anatomia não existia.

Estatua
Estátua de Bronze onde era feito os treinamentos e exames

O interesse pela acupuntura entre os chineses declinou a partir do século XVII, uma vez que passou a ser considerado supersticioso e irracional. Foi excluído do Instituto Médico Imperial por decreto do Imperador em 1822. O conhecimento e a habilidade foram retidos, no entanto, como um interesse entre os acadêmicos ou no uso diário de curandeiros rurais. Com a crescente aceitação da medicina ocidental pela China no início do século XX, a ignomínia final da acupuntura chegou em 1929 quando foi proibida, juntamente com outras formas de medicina tradicional. Após a instalação do governo comunista em 1949, as formas tradicionais de medicina, incluindo a acupuntura, foram reintegradas, possivelmente para motivos nacionalistas, mas também como os únicos meios práticos de proporcionar níveis básicos de saúde para a população maciça. O presidente Mao é citado como dizendo, em relação à medicina tradicional, “Deixe mil flores florescer”, embora ele mesmo tenha rejeitado o tratamento de acupuntura quando ele estava doente. As vertentes divergentes da teoria e prática de acupuntura foram reunidas em um consenso conhecido como medicina tradicional chinesa (TCM), que também incluiu medicina herbal. Os institutos de pesquisa de acupuntura foram estabelecidos na década de 1950 em toda a China e o tratamento tornou-se disponível em departamentos separados de acupuntura e em hospitais de estilo ocidental. Durante o mesmo período, o Prof. Han, em Pequim, buscou uma explicação mais científica sobre a acupuntura, que realizou uma pesquisa inovadora sobre a liberação de neurotransmissores de acupuntura, particularmente peptídeos opiáceos.

A propagação da acupuntura a outros países ocorreu em vários momentos e por rotas diferentes. No século VI, a Coreia e o Japão assimilaram a acupuntura e as ervas chinesas em seus sistemas médicos. Ambos os países ainda retem essas terapias, principalmente em paralelo com a medicina ocidental. Acupuntura chegou ao Vietnã quando as rotas comerciais se abriram entre os séculos oitavo e décimo. No Ocidente, a França adotou a acupuntura antes que outros países. Os missionários jesuítas trouxeram, em primeiro lugar, relatos de acupuntura no século XVI, e a prática foi amplamente adotada pelos médicos franceses. Louis Berlioz, pai do compositor Hector Berlioz, realizou ensaios clínicos sobre a acupuntura e escreveu um texto em 1816. A acupuntura francesa hoje foi profundamente influenciada por um diplomata, Souliet du Morant, que passou muitos anos na China e publicou uma série de tratados sobre acupuntura a partir de 1939.

estatua1

A primeira descrição médica da acupuntura por um médico europeu foi de Ten Rhijne, em 1680, que trabalhava para a East India Company e testemunhou a prática de acupuntura no Japão. Então, na primeira metade do século XIX, houve uma agitação de interesse tanto na América quanto na Grã-Bretanha, e várias publicações apareceram na literatura científica, incluindo um artigo editorial da Lancet intitulado “Acupunturação”. Em meados do século, a acupuntura havia caído em descrédito e o interesse permaneceu inativo, embora tenha sido ressuscitado brevemente em uma edição do livro de texto de Osler, na qual ele descreve o sucesso dramático no tratamento da dor nas costas com chapéu-pinos. Curiosamente, esse comentário foi excluído das questões subsequentes.

Em 1971, um membro do corpo de imprensa dos EUA recebeu acupuntura durante a recuperação de uma apendicectomia de emergência na China, ele estava visitando o país em preparação para a visita do presidente Nixon. Ele descreveu a experiência no New York Times e, posteriormente, equipes de médicos norte-americanos fizeram visitas de pesquisa na China para avaliar a acupuntura, particularmente seu uso para analgesia cirúrgica. Apesar da excitação inicial nas operações que testemunharam, a acupuntura mostrou-se totalmente não confiável como analgésico para a cirurgia no Ocidente. A acupuntura finalmente atingiu seu nível atual de aceitabilidade nos EUA quando uma conferência de consenso do NIH informou que havia evidências positivas de sua eficácia, pelo menos em uma faixa limitada de condições.

Estatua3

As teorias tradicionais da acupuntura foram desafiadas no Ocidente, mais notavelmente por Mann no Reino Unido e Ulett nos EUA. Conceitos antigos de Qi que fluem em meridianos foram tirados das mentes de muitos praticantes sendo substituído por um modelo neurológico, com base na evidência de que as agulhas de acupuntura estimulam as terminações nervosas e alteram a função cerebral, particularmente os mecanismos inibidores da dor intrínseca. O primeiro estudo de ressonância magnética da acupuntura também pode revelar-se um marco. Outros pesquisadores notaram a marcada semelhança entre os pontos gatilhos de Travell e seus padrões específicos de referência de dor com os locais de pontos de acupuntura tradicionais associados a seus meridianos. Há uma infinidade de mecanismos sugeridos de ação da acupuntura, mas poucos dados válidos sobre os quais, se houver, os mecanismos são relevantes para a prática clínica. A evidência de eficácia clínica também é evasiva para muitas condições, como a dor crônica, mas na última década do século XX as revisões sistemáticas forneceram evidências mais confiáveis ​​do valor da acupuntura no tratamento de náuseas (de várias causas), dor dental, dor nas costas e dor de cabeça.


Hoje conhecemos as inúmeras ações da acupuntura em suas diversas áreas, e seus variados estudos científicos, como este, para comprovar, testar e aprovar ainda mais suas aplicações. Ainda existe uma enorme crescente de Acupuntura usada em combinação com outros tipos de tratamento o que atenua ainda mais a sua eficacia. Com a crescente da multidisciplinaridade, equipe de profissionais de diversas áreas em prol do paciente, a Acupuntura tende a ficar cada vez mais reconhecida, e quem ganha com isso é a população.

Fonte: Oxford Academic

Até a próxima…

PODE A ACUPUNTURA ATUAR COMO TRATAMENTO COADJUVANTE PARA A SÍNDROME DA APNEIA OBSTRUTIVA DO SONO?

Um artigo apresentado na Official Journal of the 6º Congresso da FOA – UNESP/ Annual Meeting  em 2016 respondeu essa pergunta.

A Síndrome de Apneia Obstrutiva do Sono (SAOS) é um distúrbio primário do sono que mais se relaciona às alterações fisiológicas ocorridas durante a noite. Caracterizam-se por episódios recorrentes da obstrução total das vias aéreas superiores durante o sono. Suas consequências clinicas são: sonolência diurna excessiva, ronco, problemas cardiovasculares, sobrepeso, entre outras. Tanto o diagnóstico quanto o tratamento normalmente são tardios. Existem diversas opções de tratamento como aparelho intraoral, CPAP, uso de medicação e cirurgia. Com a popularização da acupuntura nas últimas décadas a mesma passou a ser uma alternativa de tratamento para a SAOS. A Acupuntura é uma das terapias existentes na Medicina Tradicional Chinesa, assim como a fitoterapia, auriculoterapia, ventosa, Tai Chi Chuan, Tui-na. O mecanismo de ação da acupuntura resulta da inserção de agulhas em pontos específicos da superfície da pele que geram estímulos no Sistema Nervoso Central, com liberação de neurotransmissores que atuam sobre a musculatura, modulação da dor, regeneração tecidual, modulação do humor e regulação do estado de sono e vigília.

O presente trabalho relata o caso clinico de um paciente que apresentava índice de apneia e hipopnéia elevados com comprometimento de oxigenação e intensa sonolência diurna. O paciente foi encaminhado ao cirurgião dentista que confeccionou um aparelho intra-oral removível, o qual lhe trouxe desconforto na região da ATM. O paciente foi encaminhado ao tratamento com acupuntura por cirurgião dentista habilitado, obtendo melhora na sintomatologia dolorosa, assim como na condição do sono, perda de peso e diminuição do índice de apneia. Demonstrando assim a possibilidade do uso da acupuntura como coadjuvante no tratamento da SAOS.

(Departamento de Materiais Odontológicos e Prótese, Faculdade de Odontologia de Araçatuba, Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho” – UNESP, Araçatuba – SP, Brasil)

insonia1

Observando o fato da melhora do quadro do paciente após a inclusão da Acupuntura me faz perguntar sobre a importância dessa prática em relação as outras, no caso, creio que ela deva ser mais pesquisada como terapia principal e depois de suas evidencias, ai sim confirmar se ela é complementar ou a melhor forma de tratamento.

Outro artigo “Odontologia do sono: campo de pesquisa ou realidade clínica?” destaca:

Com o reconhecimento por parte do CFO, das especialidades Acupuntura e Homeopatia, câmaras técnicas das entidades de classe estudam a especialidade Odontologia do Sono. O papel do dentista em reconhecer sinais e sintomas de problemas odontológicos ocorridos durante o sono e de grande valia clínica. Hipertrofia do masseter, desgastes dentários, restaurações fraturas, linha Alba evidenciada, língua edentada, gengivites e amigdalites crônicas e sonolência excessiva nas consultas odontológicas podem ser sinas e sintomas de problemas odontológicos noturnos. Dentre os diagnósticos diferencias podemos ter desde uma simples parafunção, passando pela respiração bucal, até a presença da síndrome da apnéia obstrutiva do sono. Essa última também denominada SHAOS, está diretamente relacionada a qualidade de vida do paciente, pois é fator etiológico de várias problemas sistêmicos de saúde.
Nas consultas periódicas o Cirurgião Dentista estando atento a esses detalhes, e frente ao papel que a odontologia tem no tratamento da SAOS através de aparelhos intra-orais, um campo de trabalho imenso está a ser explorado. Este trabalho tem o objetivo de relacionar o diagnóstico a tratamento dos principais problemas relacionados a Odontologia durante o sono.

A Odontologia agora pode usar os mesmos recursos usado por Acupunturistas para tratar seus pacientes, e eu espero que exista esse incentivo.

Fonte: http://www.archhealthinvestigation.com.br